Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

100 Histórias para Partilhar

Este blog pretende ser um espaço de partilha da prática pedagógica de uma educadora de infância. Todos os textos ,fotos e videos estão sujeitos ao RGPD.

100 Histórias para Partilhar

Este blog pretende ser um espaço de partilha da prática pedagógica de uma educadora de infância. Todos os textos ,fotos e videos estão sujeitos ao RGPD.

Seg | 23.03.20

Alguma orientações

Nestes tempos dificeis, o ME deu algumas indicações que podem ser uteis para poderem gerir melhor o tempo. Vou publicar na integra o documento que consta de  uma primeira parte mais geral e outra que poderá servir de guião para a vossa rotina, sabendo que têm vários filhotes de diferentes idades e niveis de ensino e que por isso essa gestão não é facil. Estou disponivel para vos apoiar neste momento. Deixem mensagem aqui ou enviem-me um email para prescolariodemouro@sapo.pt que eu responderei. De igual modo todas as segundas ligarei para saber como estão e se precisam de mais alguma coisa.

Deixarei aqui ficar também algumas sugestões para leituras.

As crianças em idade pré-escolar (dos 3 anos até à idade da escolaridade obrigatória) necessitam da atenção e cuidados dos adultos para se sentirem seguras e tranquilas. Nestas idades, as crianças são naturalmente curiosas e gostam de aprender coisas novas. Responda às suas reações e questões de modo compreensivo. Perante ansiedade e impaciência, escute as suas preocupações e reforce com uma dose extra de atenção e carinho e tranquilize-as.
Lembre-se de que tudo o que fizer com a criança em ambiente familiar deve ser agradável.

Aprender deve ser divertido. É muito importante que os pais/encarregados de educação assegurem rotinas diárias às crianças que, além de contribuir para o seu bem-estar, criam oportunidades de aprendizagem, dando assim continuidade às aprendizagens realizadas no jardim de infância. Tanto quanto possível, mantenha as rotinas e os horários habituais ou ajude a criar novas rotinas no novo ambiente, incluindo momentos de aprendizagem e tempo para brincar e relaxar em segurança.

Brincar é uma atividade natural e espontânea da criança. Ao brincar as crianças estão a aprender, por isso é importante que sejam proporcionadas experiências interessantes e desafiadoras em que a criança brinca umas vezes sozinha, outras em conjunto com a família ou com outras crianças. A imaginação e a criatividade devem ter muito espaço na brincadeira e, por isso, os adultos não se devem sobrepor, mas “entrar” na brincadeira da criança.

Diariamente, preveja, na rotina, atividades e experiências variadas (desenho, colagens com materiais de desperdício, teatro, histórias, jogos de tabuleiro, dar banho aos bonecos e lavar as suas roupas, etc.), algumas delas integradas no quotidiano familiar (fazer a cama, pôr a mesa, ajudar na confeção das refeições, etc.), em que a criança possa ser participante ativa. Incentive-a a realizar as atividades até ao fim. Quando terminar um jogo ou outra atividade, peça-lhe que arrume os materiais, para que no dia seguinte possa novamente brincar.

Leia ou conte uma história, pelo menos uma vez por dia. Pode utilizar livros em suporte de papel ou digital. Também pode ser a criança a contar as histórias. Depois da história a criança pode recontá-la, falar sobre as personagens, dar a sua opinião sobre o enredo. Se tiver espaço exterior, aproveite ao máximo as experiências em contacto com a natureza.

A atividade física é fundamental para a saúde e bem-estar da criança, pelo que as atividades e jogos com movimento são importantes, como, por exemplo, saltar à corda, jogar às escondidas, fazer uma gincana.
As propostas aqui apresentadas pretendem constituir-se como um recurso de apoio aos pais/encarregados de educação, não pretendendo substituir outras que queiram fazer com o/ seu/sua filho/a. São exemplo de uma rotina semanal que pretende ajudar as famílias a organizar os dias com os seus filhos em casa, neste contexto especial em que muitas vezes terão, ainda, necessidade de a conciliar com o teletrabalho.

Contacte regularmente com o/a educador/a de infância do/da seu/sua filho/a, solicitando apoio e esclarecimentos nesta tarefa de continuar a educação das nossas crianças.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.